01

Jader quer apoio do governo e da sociedade para salvar universidades federais

As universidades federais de todo o país enfrentam a mais séria crise financeira dos últimos anos. Essa asfixia financeira estende-se às 63 universidades federais do país. As quatro universidades federais do Pará não ficaram imunes e acabaram sendo gravemente afetadas pela crise. Nesse momento encontram-se mergulhadas em dívidas e obrigadas a renegociar contratos com prestadores de serviços.

“Estamos sendo obrigados a escolher quais contas pagar no final do mês” relata angustiado o reitor da Universidade Federal do Pará, Emmanuel Tourinho, lembrando que nos últimos quatros anos, o número de alunos na UFPA dobrou enquanto a verba empenhada ano a ano pelo governo federal à Universidade Federal do Pará teve uma redução drástica representando hoje perda de mais de 80%.

Para o senador Jader Barbalho (MDB), que defende alternativas de financiamento para as universidades, a situação é preocupante e exige a participação de todos. “As universidades federais são estratégicas para o desenvolvimento do país por serem as principais produtoras de ciência, tecnologia e inovação, instrumentos eficazes para superação das desigualdades regionais. Temos no Congresso parlamentares comprometidos com a educação e por isso unimos esforços para destinar recursos do orçamento geral da união de 2019, por meio de emenda de bancada, para as universidades paraenses” informou o senador Jader, reeleito para um novo mandato de oito anos.

Jader Barbalho lembrou que no ano passado também trabalhou para que a bancada federal paraense destinasse recurso para as universidades paraenses. “Louvo a participação unânime da bancada em favor do fortalecimento do ensino público superior no Pará, mas infelizmente, sabemos, isso ainda não é suficiente. Por essa razão estamos em busca de outras alternativas” revela Jader.

O senador antecipou que, no caso da Universidade Federal do Pará, um grande esforço está sendo concebido para a construção de parcerias entre o Governo do Estado e a academia paraense. “Vejo com muita tristeza o sucateamento das instituições federais, e se o governador Helder puder, de alguma forma contribuir para que os milhares de alunos que já ingressaram e os que pretendem ingressar na nossa UFPA continuem tendo uma educação de qualidade, tenham certeza de que podem contar com nosso empenho”, destacou Jader Barbalho.

ufpa

PARCERIA UFPA E GOVERNO

Quem detalha ao DIÁRIO a construção dessa parceria é o reitor da UFPA, Emmanuel Tourinho. Ele ressaltou que, desde o início da crise das universidades federais no país, o governador Helder Barbalho demonstrou preocupação sobre a forma como isso afetaria não somente a UFPA como as demais instituições no Estado.

“Com o agravamento da crise passamos a conversar sobre a construção de parcerias como, por exemplo, alternativas para avançarmos no trabalho de formação de professores por meio do Plano Nacional de Formação de Professores (Parfor)”, ressalta o reitor.

Tourinho também relacionou parcerias na área de produção acadêmica, sobretudo no aprofundamento de produção em ciência e tecnologia. “A universidade tem expertise, tem trabalhos inéditos que convergem com as necessidades imediatas do Estado do Pará e que podem ser implantados em parceria com a secretaria estadual de Ciência e Tecnologia”, exemplificou mais uma vez Tourinho.

03Para o senador Jader Barbalho, um dos maiores entusiastas da expansão do ensino público, a parceria que está sendo formada entre o futuro governo e a UFPA pode revelar talentos outrora desconhecidos da sociedade paraense. “Essa é a grande essência da produção acadêmica, é dar a oportunidade ao cidadão de contribuir com ideias dentro de seu ambiente. E ninguém conhece mais o Pará do que o paraense” comemorou Jader.

 

UNIFESSPA

Além do trabalho que está sendo construído para estabelecer a parceria com a UFPA, o senador Jader Barbalho quer fazer mais pelas universidades no Estado. Ele recebeu, na semana passada, em seu gabinete em Brasília, o reitor da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), Maurílio Monteiro acompanhado do secretário de Infraestrutura da universidade, Lucas Farias.

A Unifesspa foi criada em 2013 pela então presidente da República, Dilma Rousseff. De lá para cá registrou aumento de 80% no número de novos alunos. O número de campi da Unifesspa saltou de um para cinco e 22 cursos foram criados, chegando a 38 no ano passado. Mas a instituição já opera com um orçamento menor, considerando a inflação, do que quando foi criada pelo governo federal e precisou fazer cortes em diversas áreas.

Mesmo assim o reitor Maurílio Monteiro afirma que a demanda de alunos é crescente na região e que é preciso buscar parceria para atender aos estudantes que desejam ingressar em uma universidade e que nunca tiveram essa oportunidade. “É por essa razão que venho buscar novamente o apoio do senador, que tem sido incansável na luta pela manutenção de nossa universidade”, disse o reitor durante visita.

Maurílio mostrou a existência de uma estrutura de prédios construídos pelo Ministério da Educação há 10 anos e nunca utilizados em Santana do Araguaia e que poderiam ser utilizados pela Unifesspa para ampliar a oferta de cursos e de vagas nas regiões Sul e Sudeste do Pará.

Assim como o reitor, o senador Jader Barbalho também ficou entusiasmado com a ideia. “Sou claramente a favor da educação pública e gratuita, acho que ela é fundamental em todos os sentidos, desde a possibilidade de ascensão social, como também pelo papel do Estado na formação intelectual do cidadão”, disse o senador durante o encontro com os representantes da Unifesspa.

Jader Barbalho vai levar o relatório entregue pelo reitor Maurílio Machado para análise do governador eleito Helder Barbalho. A proposta é que o Estado também estabeleça parcerias com a Unifesspa.

Leia Mais

001

Prefeitos pedem apoio ao senador Jader Barbalho em Brasília

Com o encerramento do prazo para apresentação de emendas parlamentares individuais ao Orçamento Geral da União 2019, prefeitos e prefeitas de todas as regiões do Pará estiveram ontem (31), no gabinete do senador Jader Barbalho (MDB) em Brasília. A ocasião foi de muitos agradecimentos e cumprimentos pela reeleição de Jader ao Senado e pela vitória de Helder, como novo governador do Pará.

A prefeita de Gurupá, Neuciei de Souza Fernandes, solicitou recurso para a drenagem e pavimentação asfáltica da via de acesso à cidade. O secretário de saúde do município relatou ainda outro grave problema que vem enfrentando pela falta de repasse de recursos federais retidos pelo governo de Simão Jatene. Mackdowell Magalhães disse que, embora tenha fornecido à Secretaria de Estado da Saúde (Sespa) todos os dados sobre o número de leitos ocupados por pacientes do SUS, o dinheiro que é entregue à Sespa chega sempre “pela metade”. “Temos todo o levantamento de dados. Estamos atendendo muito mais que o dobro de pacientes do que está sendo repassado pela Sespa. Esse problema é muito grave”, afirma o secretário.

Já o prefeito de Redenção, Carlo Iavé, reforçou sua solicitação para a construção de um novo terminal rodoviário no município. O senador lembrou que foi ele o responsável pela construção do primeiro e único terminal que existe na cidade. “Espero poder contribuir para esta nova fase de transformação e desenvolvimento de Redenção, que teve sua melhor fase de crescimento no período em que fui governador do Pará”, disse Jader. “Levei energia elétrica, grande parte do asfaltamento da cidade, construí o aeroporto entre outras ações. Se participei do crescimento de Redenção ontem, quero participar também para assegurar o futuro das novas gerações”, enfatizou o senador.

CONVITES

Além de pedidos de apoio para os municípios, o senador Jader Barbalho também recebeu convites para participar de festividades nos municípios paraenses. A prefeita de Gurupá, Neuciei Fernandes, convidou o senador para participar da Festividade do Glorioso São Benedito de Gurupá, que acontece há 395 anos no município e é conhecida como a maior festa do baixo Amazonas.

O evento é realizado em dezembro e o ponto alto acontece no dia 27 de dezembro, com a procissão, e no dia 28, com a derrubada do mastro e encerramento. O senador agradeceu o convite e lembrou que já esteve no município por ocasião do festejo, quando ainda era deputado estadual.

Já o prefeito de Limoeiro do Ajuru, Carlinhos Silva (PT), que solicitou recursos para apoio na área da saúde do município, convidou o senador Jader para participar do 32º Festival do Açaí de Limoeiro do Ajuru, que acontece em novembro. O senador agradeceu ao convite feito pelo prefeito e lembrou que o Festival do Açaí é um dos importantes eventos culturais do Pará. O prefeito lembrou que o que um dia foi apenas mais uma festa, voltou a ser patrimônio cultural de Limoeiro do Ajuru.

(Luiza Mello/Diário do Pará)

Leia Mais

destaque-551990-senador

Bolsonaro tem a obrigação de unir o Brasil

Em meio às comemorações pela eleição do filho Helder ao governo do Pará, o senador reeleito Jader Barbalho (MDB) disse que o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), precisa unir o país e manter boas relações com os demais Poderes.

“Com o país dividido, ele tem a obrigação, como presidente da República, de unir o Brasil e de manter com as instituições, seja o Congresso seja o Judiciário, uma relação que seja a melhor para o país”, disse Barbalho, 73, à Folha de S.Paulo.

O emedebista previu uma difícil relação com o Congresso por causa da fragmentação partidária e defendeu uma reforma para diminuir o número de legendas.

“Não há possibilidade de nós fortalecermos a democracia brasileira com esse sem número de partidos políticos existentes”, afirmou. “Há necessidade de fazer com que os partidos políticos passem por uma grande reforma. É uma tarefa do Congresso, do Poder Judicíario.”

Questionado sobre o MDB, disse que “todos os partidos no Brasil tiveram vitórias e derrotas. Os partidos estão fragmentados, não há absolutamente nenhum partido que tenha assumido, nestas eleições, uma liderança majoritária. Há uma ampla divisão em todo o país.”

“Helder é a grande esperança de renovação política no estado do Pará. Ele não foi eleito governador porque é meu filho, não. Fico muito gratificado, ele também seguramente fica gratificado pela paternidade. Mas ele foi eleito pela liderança que conseguiu construir. Foi vereador, prefeito, foi o deputado estadual mais votado, foi ministro de Estado três vezes com grande sucesso. É uma grande liderança.”

(Folhapress)

 

Leia Mais

1298045027-_-2042508-_-FJ8P0408

Helder garante R$ 80 milhões em recursos para o Estado

Em sua primeira visita a Brasília como governador eleito pelo Pará, Helder Barbalho participou ontem (30), de uma série de reuniões para garantir recursos do Orçamento Geral da União nas ações estratégicas para o Estado no ano de 2019. Além de encontro com o presidente da República, Michel Temer, no Palácio do Planalto, no início da tarde, o governador esteve junto com os coordenadores da bancada federal para detalhar as prioridades que compõem uma de suas bases do programa de Governo, nas áreas de saúde, educação e segurança. O governador assegurou um montante de R$ 80 milhões do orçamento para essas ações em 2019.

Ao abrir o encontro com os parlamentares, que ocorreu em um dos plenários da Câmara dos Deputados, Helder Barbalho lembrou que, desde a época em que esteve à frente da Federação das Associações dos Municípios do Pará (Famep), sempre participou das reuniões de definição das emendas de bancada. “Meu desejo é de manter essa relação de parceria e proximidade com a bancada federal do Pará. Este é o caminho para que possamos trabalhar juntos em prol do nosso Estado”, ressaltou.

Elogiado pelos parlamentares presentes pela atitude de participar do encontro dos representantes da população paraense, o governador eleito afirmou que pretende estar presente sempre que for solicitado. Para o deputado Edmilson Rodrigues (Psol), eleito com o maior número de votos no Pará, a atitude de Helder foi mais que louvável. “Governador, só temos que parabenizá-lo. Ao contrário do outro, que sempre foi um ser ausente na nossa bancada, o senhor comparece sem nem mesmo ter tomado posse. Isso nos mostra que teremos um grande trabalho pela frente em prol da população do nosso Estado” comemorou o representante do PSOL.

Foram aprovadas por unanimidade, por solicitação feita pelo governador Helder Barbalho, na área da saúde, a construção do Hospital Público da Mulher de Belém, cujo valor indicado pela bancada federal é de R$ 40 milhões. Para a área de segurança pública, os parlamentares aprovaram a proposta feita no programa de governo de Helder, de equipar as polícias do Pará, cujos equipamentos estão sucateados por falta de investimentos e ações do governo atual. O valor aprovado foi de R$ 20 milhões.
CAMINHO

Finalmente para a área da educação, de forma unânime, deputados e senadores concordaram que promover uma educação de qualidade, em tempo integral, com o envolvimento das famílias e das comunidades, com a presença efetiva do Estado no dia a dia de crianças e jovens é a única forma de evitar que a violência e a marginalidade afetem o futuro da juventude paraense. A proposta aprovada foi de R$ 20 milhões para reforma e/ou adequação de escolas em tempo integral.

“A educação é o único caminho para construir um Pará seguro, de transformar um quadro onde a insegurança afeta famílias inteiras, onde jovens tem suas vidas ceifadas pelo descontrole da violência urbana”, ressaltou o senador Jader Barbalho, principal defensor da proposta.

A reunião contou com a participação da maioria dos representantes da bancada do Pará, tanto na Câmara dos Deputados quanto no Senado. Participaram os atuais deputados federais, os que foram reeleitos e também aqueles que vão estrear no parlamento no próximo ano.
Ensino superior e saúde da mulher terão mais incentivo

A deputada federal Elcione Barbalho (MDB), reeleita para seu sexto mandato, será a única mulher representante da bancada paraense. Ela defendeu a proposta de construção do primeiro hospital que será construído exclusivamente para atendimento à mulher no Estado. “Esta é uma reivindicação antiga. Mesmo não sendo a mulher um sexo frágil, as mulheres merecem políticas públicas eficientes. O governador Helder Barbalho dá um grande passo para o futuro oferecendo às mulheres do Pará uma possibilidade, inédita, de atendimento exclusivo para essas que são provedoras, gestoras de toda a família. Será significante a redução da taxa de adoecimento do sexo feminino”, comemorou.

Também participaram os três senadores que vão defender nos próximos anos os interesses do Estado do Pará: Jader Barbalho (MDB) que foi reeleito para mandato de oito anos; Paulo Rocha (PT), um dos coordenadores da bancada e que tem mais quatro anos de mandato; e Zequinha Marinho (PSC).

O trabalho de coordenação da mesa foi feito pelo vice-governador eleito, atual deputado federal, Lúcio Vale (PR), que é também coordenador da bancada. Da reunião participaram ainda os cinco reitores representantes das instituições de ensino superior no Pará. Quem falou em nome de todos foi Emmanuel Tourinho, reitor da Universidade Federal do Pará (UFPA), que descreveu o quadro de sucateamento enfrentado pelas instituições. Também de forma unânime, os deputados e senadores do Pará aprovaram a indicação de recursos para socorrer o ensino superior no Estado.

Mais cedo, durante encontro com o presidente Michel Temer e com o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, Helder Barbalho falou sobre a capacidade de desenvolvimento do Pará e sobre os projetos que já estão na pauta do Governo Federal, como a criação do Fundo Nacional Ferroviário, o pagamento dos estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental do Tramo Norte, trecho da Ferrovia Norte Sul que vai fazer a ligação de Açailândia até Barcarena.

Na visita, estiveram presentes o vice-governador Lúcio Vale, o senador Jader Barbalho, Zequinha Marinho e o diretor-presidente do DIÁRIO DO PARÁ, Jader Filho.

(Luiza Mello/Diário do Pará)

Leia Mais

HEMOPA

Vi em diversos meios de comunicação que a Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Estado do Pará (Hemopa) está convocando doadores voluntários, especialmente os que fazem parte dos grupos sanguíneos O Negativo, A Negativo e AB Negativo, com a finalidade de recompor o estoque sanguíneo e atender a demanda de transfusões da rede hospitalar pública e privada. No mês de julho, em razão das férias escolares e das viagens de muitos doadores, o número de coletas de sangue cai acentuadamente e já houve uma redução de 30% nesses primeiros dias, em todo o Estado.

A estrutura da Hemopa foi construída no meu segundo governo. No final dos anos 1980, o Brasil vivia o início da epidemia da Aids, àquela época ainda sem cura e sem tratamento adequado e aqui o sangue de várias pessoas era coletado numa vasilha, num recipiente. Se algum doador estivesse contaminado com a Aids, hepatite ou com doenças transmissíveis pelo sangue, contaminava outras pessoas que, na maioria das vezes, só descobriam a contaminação meses depois. Era imprescindível ter controle e segurança em todas as etapas necessárias para os estudos científicos, recolhimento e distribuição do sangue e seus derivados.

A Hemopa, quando foi inaugurada, tinha todas as condições de atendimento e modernidade e recebeu visitas de profissionais e especialistas do país, sendo considerado um centro de referência para a América do Sul. A partir daí houve um controle rígido e regular dos estoques de sangue e uma política ampla de captação de doadores de sangue altruístas e espontâneos.

Além da Hemopa, consegui desenvolver um programa de obras importantes na área da saúde como a reforma da Santa Casa de Misericórdia, a construção do Hospital das Clínicas, hospitais e unidades de saúde em todas as regiões do Pará, um amplo apoio de assistência social, distribuição de remédios e campanhas de vacinação para prevenir doenças. Quando ministro da Previdência, pude alocar verbas para a construção do Hospital Universitário Betina Ferro e Souza e ao iniciar o segundo governo, aloquei verbas para equipar o hospital e colocá-lo em funcionamento para o aprendizado dos alunos e atendimento à população.

A convocação da Hemopa é importante e necessária. A rede hospitalar precisa contar com esses estoques, de acordo com a demanda estabelecida no dia a dia. Doar é um ato de amor e solidariedade, que ajuda as pessoas e salva vidas.

Leia Mais