HEMOPA

Vi em diversos meios de comunicação que a Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Estado do Pará (Hemopa) está convocando doadores voluntários, especialmente os que fazem parte dos grupos sanguíneos O Negativo, A Negativo e AB Negativo, com a finalidade de recompor o estoque sanguíneo e atender a demanda de transfusões da rede hospitalar pública e privada. No mês de julho, em razão das férias escolares e das viagens de muitos doadores, o número de coletas de sangue cai acentuadamente e já houve uma redução de 30% nesses primeiros dias, em todo o Estado.

A estrutura da Hemopa foi construída no meu segundo governo. No final dos anos 1980, o Brasil vivia o início da epidemia da Aids, àquela época ainda sem cura e sem tratamento adequado e aqui o sangue de várias pessoas era coletado numa vasilha, num recipiente. Se algum doador estivesse contaminado com a Aids, hepatite ou com doenças transmissíveis pelo sangue, contaminava outras pessoas que, na maioria das vezes, só descobriam a contaminação meses depois. Era imprescindível ter controle e segurança em todas as etapas necessárias para os estudos científicos, recolhimento e distribuição do sangue e seus derivados.

A Hemopa, quando foi inaugurada, tinha todas as condições de atendimento e modernidade e recebeu visitas de profissionais e especialistas do país, sendo considerado um centro de referência para a América do Sul. A partir daí houve um controle rígido e regular dos estoques de sangue e uma política ampla de captação de doadores de sangue altruístas e espontâneos.

Além da Hemopa, consegui desenvolver um programa de obras importantes na área da saúde como a reforma da Santa Casa de Misericórdia, a construção do Hospital das Clínicas, hospitais e unidades de saúde em todas as regiões do Pará, um amplo apoio de assistência social, distribuição de remédios e campanhas de vacinação para prevenir doenças. Quando ministro da Previdência, pude alocar verbas para a construção do Hospital Universitário Betina Ferro e Souza e ao iniciar o segundo governo, aloquei verbas para equipar o hospital e colocá-lo em funcionamento para o aprendizado dos alunos e atendimento à população.

A convocação da Hemopa é importante e necessária. A rede hospitalar precisa contar com esses estoques, de acordo com a demanda estabelecida no dia a dia. Doar é um ato de amor e solidariedade, que ajuda as pessoas e salva vidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *