O PARÁ NO ESPORTE

Ao percorrer as ruas, em diversos bairros de Belém, no meio dessa semana, pude observar muita gente nas esquinas, nos bares, atentamente acompanhando a final da Copa Verde, quando o Paysandu se sagrou bicampeão e levou comemorações de alegria para todos os cantos do Pará. Em clima de emoção, o Mangueirão recebeu mais de 35 mil torcedores e a festa com o importante título regional tomou conta das ruas. No início de abril, o mesmo ocorreu quando o Clube do Remo conquistou o Campeonato Paraense. Até me surpreendi com as ruas lotadas, já que as pessoas preferem ficar em casa para fugir da violência, mas a paixão pelo futebol foi mais forte que o medo.

A rivalidade entre as torcidas do Leão e do Papão está entre as maiores do Brasil e marca o Estado do Pará com uma referência esportiva nacional. Apesar das inúmeras dificuldades financeiras dos nossos clubes, os torcedores são fiéis e acompanham seus times em todos os campos do país. Essa vibração contagiante é saudável e deve permanecer, com exclusão das minorias violentas, que envergonham essas imensas comunidades de apaixonados por seus clubes.
Tive a honra como governador de construir grande parte do Mangueirão, Estádio Estadual Jornalista Edgar Proença, reforçar todas as suas estruturas, com o auxílio do engenheiro Paulo Barroso. E, também, realizar a obra do estádio de Santarém, conhecido popularmente como Barbalhão, mas por pressão de adversários políticos foi rebatizado como Colosso do Tapajós, mas o que importa é que a obra contribuiu para a interiorização do futebol e fortaleceu clubes como o São Raimundo e São Francisco.

Em outras regiões ganharam destaque o Águia, de Marabá; o Independente, de Tucuruí; o Bragantino, de Bragança; o Paragominas. Essas agremiações e mais a Tuna Luso Brasileira, Avante, Ex-Combatentes, Sport Club Belém, Pinheirense e vários clubes ajudaram e ajudam a revelar bons jogadores, que brilharam e brilham nos gramados do país e do mundo, como Quarentinha, Manoel Maria, Giovanni, Paulo Henrique Ganso e tantos outros.

O esporte é uma ferramenta especial para a formação dos nossos jovens e a sua prática em maior ou menor escala é essencial para a saúde e bem estar de todos. Fui jogador de basquetebol e professor de educação física, adoro esportes e vibrei muito com a vitória do ex-campeão mundial Lyoto Machida sobre Vitor Belfort, no UFC. Fiquei orgulhoso de ver a bandeira do Pará tremular e ser reverenciada em todas as partes do planeta.

Siga-me:
Instagram – jaderbarbalho
Twitter – @jader_barbalho
Facebook – Jader Barbalho
Site oficial – jaderbarbalho.com.br

#JaderTrabalho

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *